fbpx

Canto Gregoriano

O “Ethos” dos Modos: V modo (tritus autenticus)

O Tritus de quinto modo é sanguíneo: Expansivo, reflete a alegria que deve ser externada. Por J. Jeanneteau   Os numerosos autores que falaram dos ethos dos modos entraram todos em acordo sobre a qualificação do quinto modo: contente (laetus). Efetivamente, pela maior parte do tempo, o seu andamento geral é aquele de uma alegria franca,  assertiva ou triunfante. Impulsiona-se do início …

O “Ethos” dos Modos: V modo (tritus autenticus) Leia mais »

O “Ethos” dos Modos: III modo (deuteurus autenticus)

O Deuterus de terceiro modo é colérico: representa a capacidade misteriosa do fogo em se espalhar, consumindo e transformando tudo que alcança. Por J. Jeanneteau   O mais misterioso de todos os modos, como dizia Dom Gajard, não pode ser encarado sem prudência e cautela. As dificuldades de interpretação, a gravidade na execução, os ardores …

O “Ethos” dos Modos: III modo (deuteurus autenticus) Leia mais »

O canto gregoriano: um estranho no ninho

Por Fulvio Rampi O título que quis dar ao meu intervento é a amarga síntese conclusiva da reflexão eclesial – seria mais correto dizer “ausente reflexão” – pós-conciliar em mérito do canto gregoriano. Pensei muita vezes comigo mesmo que teria sido muito mais fácil falar do canto gregoriano se a “Sacrosanctum Concilium”, no famoso art. …

O canto gregoriano: um estranho no ninho Leia mais »